22 novembro 2020

Terra Bona distinguida

Ponto 1: Galardões obtidos:

i) "Terra Bona Family Harvest 2018" obteve no passado mês de Setembro, medalha de Ouro no concurso "Mondial des Vins Extrêmes", realizado em Itália e que contou com a presença de cerca de 39 países.

ii) "Heritage Terra Bona Carvalho Francês 2018" obteve a menção de vinho Recomendado pela Decanter World Wine Awards, realizado em Londres, igualmente no passado mês de Setembro.

Ponto 2: Caracteristicas e recomendações para os vinhos
Estamos na presença de uma gama de vinhos de uma casta rara, com uvas estritamente selecionadas que, sob a influência da brisa atlântica, são produzidas numa biodiversidade única, rodeada pela nossa floresta Laurissilva, património natural da Humanidade.

O nosso lote “Terra Bona Family Harvest” 2018, a exemplo da 1ª colheita, 2017, trata-se de um vinho cristalino de coloração cítrica, aroma complexo, onde as notas de fruta tropical sobressaem, sobre um fundo floral. Na boca, mostra-se fresco, envolvente e mineral, com uma agradável persistência.

Trata-se de um vinho que acompanha bem um momento de pura degustação ou acompanhando queijos e enchidos, bem como, uma refeição, especialmente com peixe, marisco ou carnes brancas.

A servir entre os 10º e 12º de temperatura.

Em relação ao “heritage terra Bona”, barrica de carvalho francês 2018, trata-se de um vinho produzido com fermentação e estágio de três meses em barrica, especialmente concebida para vinhos brancos Reserva, fazendo parte de um lote de apenas 560 garrafas.

Num equilíbrio entre as notas de fruta tropical, ananás, e as notas tostadas decorrentes do estágio em barrica, mostra-se na boca fresco, untuoso, bastante balanceado, e com excelente persistência, fazendo deste vinho uma experiência singular. Ideal para acompanhar refeições com bacalhau, polvo, ou no seu final, acompanhando a sobremesa após uma refeição com o nosso “Terra Bona Family Harvest 2018”.

A servir entre os 12º e 14º de temperatura.

Atendendo às características da casta, são vinhos com um elevado potencial de evolução em garrafa,




2018


2017
       
  








18 novembro 2020

Terras do Avô lança espumante Filipa 50


Filipa Caldeira, sócia da empresa familiar Terras do Avô, do Seixal, completou terça-feira 50 anos e em homenagem foi lançado o Espumante Filipa 50.

A promoção do novo produto foi lançada hoje, na página do Facebook da empresa.

Trata-se de um 100% verdelho, extrabruto natural, que a Terras do Avô sugere para prenda de Natal sublinhando que esta é uma edição limitada.

Assinalar datas festivas da família com o lançamento de um novo espumante é já uma forma de estar da família Caldeira no negócio dos vinhos de mesa madeirenses, produzidos na freguesia do Seixal, concelho do Porto Moniz.

Fonte: JM-Madeira

17 novembro 2020

O Borracho

O borracho ou odre, foi em tempos idos, o meio mais eficaz de transporte do mosto das lagariças, disseminadas pelo meio rural, para os armazéns da cidade, ou portos locais. Este era feito a partir da pele de Cabrito, devidamente tratada e preparada para poder transportar o mosto. Desta forma, se procurava minorar a dificuldade e a canseira do transporte do vinho, criando-se um recipiente que se adaptar-se perfeitamente ao dorso do homem.

O borracho é dos poucos componentes da faina vitivinícola tipicamente madeirense. Apenas na Madeira ele foi utilizado para o transporte do mosto do lagar ao armazém. Todavia não é uma criação madeirense, pois aparece nas Canárias, no sul da Península e no Norte de África. Nesta última localidade, donde pensamos ser originário este utensílio, era e é usado para o transporte e guarda de água. Nas Canárias,o seu uso generalizou-se na população guanche para guardar o gofio.

A forte presença de escravos guanches na Madeira, na segunda metade do século XV, aliada à assídua participação madeirense nas campanhas militares marroquinas, terão contributo para o aparecimento deste tipo de utensílio na nossa ilha. Note-se, ainda que os guanches eram pastores de cabras, é com eles vieram os exemplares de gado caprino que povoaram as encostas das ilhas do arquipélago.

Ao longo do séculos XVI e XVII abundam nos testamentos referências a este recipiente, então chamado odre. A primeira representação do seu fabrico e uso surge no cadeirado da Sé do Funchal, datado de princípios do século XVI. Até ao último quartel do século XVIII continuou a utilizar-se esta designação. Certamente a expressão borracho é uma criação dos nossos dias, uma vez que não encontramos em séculos anteriores semelhante designativo.

A razão do uso do odre ou borracho no transporte do vinho é apresentada em documentos de 1777, onde se afirma que no transporte do mosto para as adegas se utilizavam os barris de dois almudes ou "odres sobre os ombros de homens porque a escabrosidade dos caminhos faz improváveis outras conduções".

O borracho destaca-se, assim, como o único componente da safra vitivinícola tipicamente madeirense, daí a necessidade da sua preservação e, porque não, o seu uso é divulgação nas múltiplas iniciativas culturais e turísticas. 

Texto de Alberto Vieira - Breviário da Vinha e do Vinho da Madeira.

P.S. Numa deslocação à República do Chipre em 2016, em representação da Confraria Enogastronómica da Madeira, no evento dos Cavaleiros da Ordo Equestris Vini Europae - Chipre, Gregório Freitas e João Santos tomaram conhecimento que os habitantes do Chipre também usavam a pele de cabrito para o transporte do mosto.

The 2021 Congress confirmed from 3 to 9 June 2021

31 October 2020

The 2021 F.I.C.B. Congress 2021 confirmed by the organizers from June 3 to 9, 2021

The 51st Congress of the F.I.C.B. was to take place in Alba and the Piedmont region from June 4 to 10, 2020. The organizers, the Order of the Knights of the Truffle and Wines of Alba and Langhe-Experience Tours&events, have put together a very attractive program allowing to discover their beautiful region and their prestigious wines (Barolo, Nebbiolo, Barbaresco in particular) in exceptional conditions.

Unfortunately, the COVID 19 pandemic has meanwhile hit the whole of humanity and the Congress could not take place on the scheduled dates. The F.I.C.B. Board and the organizers therefore decided to postpone the Congress for one year (from June 3 to 9, 2021), with the same program and financial conditions. We have logically decided to postpone by one year the two following events (Challenge in Hungary in 2022 and Congress in Portugal in 2023), with the agreement of their organizers. The postponement of the 2020 Congress is in the hope that the world situation will return to normal in the coming months and that registered participants will be able to take advantage of this long-awaited event to rediscover the spirit of conviviality and sharing that animates our brotherhoods. 


16 novembro 2020

"A Essência" de 15 de Novembro

"A Essência" é uma série de mais 13 programas (continuação) sobre o vinho e a vinha, transmitidos na RTP2. 

A Madeira está em destaque no episódio deste 15 de Novembro de 2020, que poderá visualizar ao clicar na imagem abaixo.



15 novembro 2020

Bolos e broas

Artigo de opinião por Marta Caires.

Fonte: edição impressa do Diário de Notícias da Madeira, de 17 de Novembro de 2020.




2021 F.I.C.B. General Assembly

The statutes of the F.I.C.B. require the physical presence of the members at the general assembly, with the possibility for those absent to give a proxy to a member present. They therefore do not allow the organization of a general assembly at a distance. In the context of the global pandemic, the F.I.C.B. Board of Administration has decided to maintain the date of the General Assembly decided last year, considering the decisions to be taken, but to organize a remote meeting of the Board of Administration on January 21st to prepare the resolutions on the statutory points. In accordance with our articles of association,  the ordinary general assembly of our Federation will take place:

Saturday, January 30, 2021 at 10:00 a.m.

at the Maison des Associations of the Paris 16th district

14, avenue René Boylesve 75016 Paris

(100m from the Wine Museum of Paris)

click here for the notice for the 2021 GA

click here for the 2021 GA agenda

click here for the draft minutes of the 2020 GA

13 novembro 2020

The Renaud Society Journal

In spite of the pandemic our brotherhoods remain active! The Renaud Society has sent us an end of year magazine, which nicely presents the Paris Wine Museum where we love to meet.

We guess everybody will enjoy reading it.

Fonte: F.I.C.B.



10 novembro 2020

John Paul da Silva | Beijo Wines



São vinhas no Caniçal, bem perto do mar, num projeto de produção que começou em 2005. Plantaram-se as castas tinta barroca, touriga franca e cabernet sauvignon, de cujas uvas se fazem cerca de 3500 garrafas de vinho rosé e outras 3500 de vinho tinto, com a marca Beijo. O primeiro vinho foi produzido em 2009 e foi de imediato premiado. Daí para cá já tiveram três vezes um primeiro lugar. O enoturismo resume-se à visita às vinhas e a uma prova dos vinhos com alguns petiscos, por marcação, ali mesmo junto às vinhas, com o mar lá ao fundo.



They are vineyards in Caniçal, very close to the sea, in a production project that started in 2005. Baroque red grape varieties, touriga franca and cabernet sauvignon were planted, from which grapes make about 3500 bottles of rosé wine and another 3500 bottles of wine. red, with the brand Beijo. The first wine was produced in 2009 and was immediately awarded. Since then, they have already won first place three times. Wine tourism comes down to a visit to the vineyards and a wine tasting with some snacks, by appointment, right there next to the vineyards, with the sea at the bottom



Beijo Madeiran table wine

An award winning red Madeiran DOP table wine that can be found in many retailers and at the Madeira wine festival.
Beijo means Kiss in Portuguese, hence the lips on the very stylish label.
Beijo is produced at the San Vicente winery and is a blend of Cabernet Sauvignon, Touriga Franca and Tinta Barroca grapes.
The wine is fresh and peppery with fruit notes, particularly blackberries. This is certainly one of most evolved of Madeira’s red wines as it has depth of flavour and some real body to it.
The vineyard is in Canical and planted in 2005 with the first bottling made in 2009.

02 novembro 2020

Palestra promovida pela AICT debate “A importância dos produtos locais na Gastronomia do Porto Santo”




No âmbito do II Festival Gastronómico -Caça e Pesca, foi promovida pela Associação de Indústria, Comérico e Turismo do Porto Santo (AICT-Porto Santo), uma palestea tendo como tema “A importância dos produtos locais na Gastronomia do Porto Santo”
O painel foi composto pelo Presidente da Confraria Enogastronómica da Madeira, Alcides Nóbrega e Márcio Ribeiro, Secretário da Confraria.
O moderador foi Hugo Brandão, Presidente da Associação de Produtores da Ilha do Porto Santo. Refira-se que, no passado sábado, dia 31 de outubro, houve uma reunião dos órgãos sociais e respetivos associados da AICT para debater os seguintes pontos que foram aprovados por unanimidade:

1. Apresentação e esclarecimento do projeto aprovado “Porto Santo BIZ 4.0”
2. Proposta de uma nova mesa de atividade comercial 
3. Reagendar algumas datas do plano de atividades até dezembro de 2020.

Foram ainda apreciados e votados por unanimidade os seguintes pontos:
• Integração de novos associados no órgãos sociais. • Apresentação de uma nova EXPO e vários colóquios culturais, recreativos, económicos.
• Mercado e certames Natal, Festival Bandas Locais e Regionais, lançamento de eventos náutico- desportivos
• Lançamento do projeto de Promoção do Porto Santo
• Continuidade da formação profissional em Porto Santo nas mais variadas áreas

Está pronto para provar a Madeira?


Do nosso bolo de mel ao nosso peixe fresco… Do nosso pão à nossa carne… Dos nossos frutos tropicais às nossas bebidas tradicionais… As nossas mesas estão cheias de sabores mágicos e deliciosos!

Está pronto para provar a Madeira? 😊


Assista ao vídeo: 


01 novembro 2020

Madeira pode comercializar 10 a 15 toneladas de gamba em 2021

Um estudo realizado pelo Governo da Madeira conclui que a região pode comercializar gamba, a partir de 2021, efetuando capturas sustentáveis entre as 10 e as 15 toneladas anuais, anunciou hoje a secretaria do Mar e das Pescas.



Esta perspetiva tem por base um estudo realizado no âmbito do projeto MARISCOMAC, que foi desenvolvido por investigadores e especialistas da Madeira, Canárias e Cabo Verde, o qual "indica para a possibilidade de capturas anuais sustentáveis, na ordem das 10 a 15 toneladas", adianta.

Este estudo foi coordenado pela Secretaria Regional de Mar e Pescas do Governo da Madeira, através da Direção Regional do Mar, e teve um cofinanciamentode cerca de 466 mil euros da União Europeia.

O objetivo foi "desenvolver condições técnicas e bases científicas para a exploração sustentável de mariscos e peixes (recursos pesqueiros) nas águas, quer costeiras quer profundas, da Madeira, Canárias e Cabo Verde e sua comercialização", realça.

O secretário com a tutela, o centrista Teófilo Cunha, destaca no documento a "importância da ciência e da investigação servirem de suporte para a tomada de decisões políticas".

"Durante quase cinco anos, os especialistas e cientistas estudaram os recursos marinhos destes três territórios, agora estamos em condições de saber quais as espécies com valor comercial e quantidades que permitam utilizar esses novos recursos de forma responsável e sustentável", declara.

O governante insular enfatiza que "uma dessas espécies é a gamba da Madeira, que os entendidos consideram 'um produto de excelência'".

Os estudos também indicam ser "na costa sul da Madeira que se concentram os maiores 'stocks'", perspetivando os especialistas que "a sua exploração e comercialização de forma sustentável pode atingir entre 10 a 15 tonelada/ano, num valor comercial próximo dos 100 mil euros".

"AMadeira poderá vir a comercializar a gamba da Madeira, a partir de 2021", lê-se numa nota divulgada pelo executivo insular.

"Estamos a falar de uma mais-valia para os pescadores, mas em complemento da atividadeporque 10 a 15 toneladas anuais não permite viver exclusivamente da gamba", vincou Teófilo Cunha.

O responsável insular sublinhou que este produto pode "enriquecer a gastronomia da Madeira e contribuir para melhorar o rendimento dos pescadores" do arquipélago.

Para o efeito, está em fase de preparação a legislação adequada pelos serviços desta Secretaria Regional, disse.

O projeto MARISCOMAC termina em junho de 2021 e o secretário madeirense espera, "até lá, ter pronta a portaria que irá estabelecer as normas legais".


O estudo realizado também avaliou 'stocks' de lapas e caramujo, mencionou.
Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Confraria Enogastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top