31 dezembro 2015

Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira em Vila Real e em Paris

No próximo dia 9 de Janeiro, a direção da Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participa no Capítulo da Confraria Gastronómica da Carne Barrosã, em Vila Real. 
No dia 16 de Janeiro estará presente no Capítulo da Confrérie Oenogastronomique des Vins AOC Orléans et Orléans Clery na região de Ile d`France, em Paris. 

30 dezembro 2015

Intium operum fraternitatis MMXVI

Caros confrades, 

"Qual a importância ou vantagem para a confraria da Madeira a viagem ao Chipre?"

Esta foi a primeira reação de um confrade da Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira ao ter conhecimento da nossa presença no Chipre. Ora, desde sempre a Confraria Madeirense defendeu as relações de amizade e de intercâmbio entre confrarias, sejam elas nacionais ou internacionais, pois defende igualmente de que a defesa da herança cultural gastronómica e baquica da Região Autónoma da Madeira passa por ter conhecimento de outras realidades e vivências e darmos a conhecer a nossa cultura e maneira de estar. 

Caros confrades, para mim não existe nenhum trauma em aceitar a informação de que um dos pratos mais típicos da gastronomia da Madeira (estou a falar da carne de vinho-e-alhos) tenha origem no Minho, como aceito e defendo a tese de que um outro prato típico da Madeira (a "Espetada em espeto de louro") tenha a sua origem na Região do Ribatejo ou mesmo que o Bolo do Caco seja uma vivência do norte de África. Fico é preocupado pela atitude muitas vezes tida e tomada por pretensos defensores da gastronomia Madeirense quando está em causa criticar o comportamento de amigos ou de alguém ligado ao seu meio, no atropelo que estes fazem à herança cultural, gastronómica e baquica da Madeira. 

Muito provavelmente o XVI Capítulo da Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira será o capítulo com mais presenças de confrarias na Região Autónoma da Madeira. Isto também devido às presenças de confrades Madeirenses que, durante os 16 anos de existência da confraria Madeirense, têm marcado com a sua presença em centenas de Capítulos realizados no espaço nacional e internacional. Peço que os agora poucos confrades Madeirenses também não faltem a este importante evento para a confraria Madeirense.

A deslocação de confrades da AMC/CGM à Bulgária, Roménia, Macedónia, Croácia, Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha e Canadá continua a estar nos objetivos da confraria Madeirense. No entanto, sou da opinião que em 2016 as atenções deveriam ser dirigidas para os países onde a confraria já esteve e deveríamos tentar estar presentes pela 1ª vez na Holanda e na Finlândia. Já as presenças no Chipre e na Áustria estão agendadas para o mês de Maio.

O ano de 2016 será de máxima importância para o movimento confradico nacional e internacional. Acredito de que serão dados passos para a criação de um Organismo Internacional de Federações Nacionais de Confrarias e Portugal deverá contribuir para que esse organismo seja uma realidade que há muito se espera. Desejo que a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira tenha coragem e vontade política para elevar a gastronomia Madeirense a Património Cultural Regional, que a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira seja convidada a fazer parte do Conselho Regional de Turismo e que os responsáveis pela promoção turística da Região Autónoma da Madeira reconheçam a importância da gastronomia atlântica da Madeira na promoção da Região.

O critério para as presenças dos confrades da Madeira em eventos organizados por outras nunca deverá obedecer o ridículo e estúpido principio de que "se não estás no meu evento, tenho o direito de não estar no vosso". As confrarias não existem para fazerem ou cultivarem favores mas sim para defenderem e promoverem o seu território e a sua herança cultural gastronómica e baquica da região onde está inserida. E parto do princípio de que todas as presenças da Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira em eventos realizados dentro e fora da RAM são uma mais-valia na defesa da herança gastronómica e baquica da região e do seu destino turístico.

Sou da opinião de que a direção da AMC/CGM no inicio de 2016 deverá tentar reunir com os responsáveis dos grupos parlamentares da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira e apresentar a todos a ideia da Elevação da Gastronomia Madeirense a Património Cultural Regional.

Congratulo-me pela eleição da Região Autónoma da Madeira para a melhor Região Turística Insular do Mundo. Mas, no entanto, recomendo aos responsáveis pelo turismo e promoção do Arquipélago da Madeira para que não fiquem a dormir à sombra da bananeira e que pugnem para que a Madeira consiga conservar este estatuto pelo maior número de anos possível. E aconselho de que a defesa da gastronomia atlântica da Madeira é e será uma mais-valia para a manutenção deste estatuto de Melhor Região Insular Turística do Mundo.

Acabo terminando este meu texto acreditando no sucesso das várias actividades que a Confraria da Madeira irá com certeza realizar em 2016, ano que agora tem o seu início, e no sucesso do seu XVI Grande Capítulo que se realizará de 22 a 25 de Abril. 

Este texto é da inteira responsabilidade do seu autor, não compromete nem pretende comprometer a actual direção da AMC/CGM.

Gregório J.S.Freitas,
Confrade fundador.

Estreito de Câmara de Lobos, Janeiro de 2016. 





27 dezembro 2015

A Festa, Sabores e Saberes de um povo


Um percurso pela tradição. 
O bolo e as broas de mel, os licores, a morte do porco e a confeção da carne vinho d'alhos, o presépio e as luzes são referências da Festa, da forma como os madeirenses assinalam o Natal, numa viagem pela tradição, com testemunhos de madeirenses centenários. 


A RTP-Madeira emitiu no passado dia 22 de Dezembro o programa 'Festa Madeirense', que poderá visualizar através do seguinte endereço: http://www.rtp.pt/play/p2169/FESTAMADEIRENSE

22 dezembro 2015

Natal madeirense com carne que era tradição no Minho



A carne de vinha de alhos é uma iguaria simples, tradicional na ilha da Madeira, que não falta nas mesas dos seus habitantes na quadra do Natal.
"A Madeira come carne de vinha de alhos no Natal, porque alguns dos colonos que vieram para cá eram do Minho e trouxeram essa tradição de fazer a carne um pouco parecida com os rojões que eles costumam lá fazer", disse à agência Lusa Teresinha Santos, uma conhecedora das tradições culinárias do arquipélago.
Teresinha Santos foi agente de educação familiar rural, e teve a responsabilidade de criar o primeiro centro de extensão desta área na ilha, serviço que também dava aulas de culinária, ainda antes do 25 de abril de 1974, é atualmente presidente da assembleia-geral da Casa do Povo da Ponta do Sol, na zona oeste da ilha.
Em 2007, ano em que a Ponta do Sol foi Município da Cultura na região, elaborou um livro dedicado à culinária tradicional, que inclui receitas típicas do arquipélago, que foram testadas na altura e ficaram assim reunidas.
Teresinha Santos apontou que os madeirenses adaptaram à receita de carne de porco dos colonos "os condimentos e as ervas aromáticas que tinham na Madeira", dando-lhe o toque regional.
Esta iguaria culinária está também relacionada com uma outra tradição natalícia insular, a matança do porco.
Quase todas as famílias matavam o porco “na ‘Festa' [designação madeirense para a quadra do Natal] e essa matança era já uma festa que reunia a família e, ao cortar o porco, já se reservava parte de febras e carne própria para a vinha de alhos", explicou.
Depois, "quando se chega a dois ou três dias antes do Natal, a dona de casa, a mãe de família vai à púcara, tira os pedaços de carne, pica em cubos e faz, então, uma vinha de alhos já própria para a cozedura", disse.
Falando sobre a confeção deste prato, o ‘chef’ Octávio Freitas, realçou que "a receita tradicional de carne de vinha de alhos é uma receita simples, com a particularidade de ser feita só na ilha da Madeira".
O especialista explicou que "esta carne é marinada durante alguns dias em salmoura e, após esse tempo de cura, é corada ou alourada em banha de porco, portanto, não é azeite nem óleo, já que o tradicional é mesmo banha de porco".
Depois, "é cozinhada com os sucos da marinada durante uma hora ou duas", para se obter "uma carne bem desfeita e suculenta", no que classificou como processo de "cozedura simples".
Sobre o acompanhamento, a tradição é utilizar "uma fatia de ‘pão de casa’, que é o pão tradicional madeirense - como os alentejanos por exemplo -, que é frito na banha de porco, sendo quase uma espécie de ‘bruschetta'.
A carne de vinha de alhos é servida em quase todos os restaurantes da região, sobretudo na quadra do Natal. Na denominada Noite do Mercado (23 de dezembro), no Funchal, são vendidas milhares de sandes confecionadas com base nesta receita.
(Fonte: Diário de Notícias da Madeira)

15 dezembro 2015

AMC/CGM congratula-se com a nomeação da Madeira como Melhor Destino Turístico Insular do Mundo


Informação

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira congratula-se com a nomeação da Região Autónoma da Madeira como Melhor Destino Turístico Insular do Mundo.
No entanto receia que a sua riqueza gastronómica não seja tida em conta e, por consequente,  esquecida nas acções na promoção do Arquipélago.

A direção da AMC/CGM
Estreito de Câmara de Lobos, 15 de Dezembro de 2015 

Presença confirmada a 16 de Janeiro nas Astúrias


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira irá marcar presença no Capítulo da Cofradia Amigos del Nabo de la Foz de Morcin, que se realiza no dia 16 de Janeiro de 2016, na Cidade de Oviedo, nas Astúrias. Já a 26 de Fevereiro do próximo ano, a AMC/CGM estará presente no Capítulo da Confrérie Saint Romain et Pays de Libournne, na região de Bordeaux. 

09 dezembro 2015

Presença confirmada na República do Chipre em Maio


A direção da Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira confirma a presença de uma delegação da confraria Madeirense, em Maio, na República do Chipre que estará presente na Cerimonia de Entronização dos novos membros da Ordo Equestris Vini Europae do Chipre.

A direção da AMC/CGM
Estreito de Câmara de Lobos, 9 de Dezembro de 2015. 

Mapa de Eventos - 2016


MAPA DE EVENTOS

Eventos da FPCG 2016: 
11 de Março de 2016 - Assembleia Geral Ordinária da FPCG. 
29 de Maio de 2016 - Comemorações do Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa. 
12 de Novembro de 2016 - Assembleia Geral Ordinária da FPCG. 

Capítulos de Confrarias Federadas – 2015: 
12 de Dezembro - Confraria dos Sabores Poveiros.

Capítulos de Confrarias Federadas – 2016: 
9 de Janeiro - Confraria Gastronómica da Carne Barrosã.
16 de Janeiro - Confraria da Fogaça da Feira. 
23 de Janeiro - V cerimónia capitular da Confraria dos Sabores da Abóbora. 
31 de Janeiro - Confraria do Vinho de Lamas. 
6 de Fevereiro (sábado de Carnaval): VII Capítulo da Confraria do Bucho Raiano na vila do Soito, concelho do Sabugal. 
5 de Março - III Capítulo da Confraria dos Rojões da Bairrada com Grelo e Batata à Racha.
5 de Março - Confraria do Queijo Serra da Estrela. 
20 de Março - VIII Capítulo da Confraria As Sainhas de Vagos. 
16 de Abril - Confraria Gastronómica dos Aromas e Sabores Raianos. 
22, 23,24 e 25 de Abril - XVI Grande Capítulo da Academia Madeirense das Carnes / Confraria Gastronómica da Madeira. 
14 de Maio – Confraria dos Ovos Moles de Aveiro. 
21 de Maio - Confraria da Doçaria Conventual de Tentúgal. 
4 de Junho - XI Capítulo da Confraria Gastronómica da Gândara - Aromas e Sabores Gandareses.
25 de Junho - Capítulo da Confraria da Broa de Avintes. 
18 de Junho - V Capitulo da Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar. 
27 de Agosto - Confraria do Presunto e da Cebola do Vale do Sousa. 
24 de Setembro - X capítulo da Confraria das Papas de S. Miguel. 
1 de Outubro - Confraria dos Carolos e Papas de Milho. 

Outros Eventos – 2016: 
12 de Março - V Capítulo da Confraria Enogastronomica Sabores do Botaréu - Águeda. 
2 de Abril - Festa da Matança do Porco. Confraria do Presunto e da Cebola do Vale do Sousa.

2 e 3 de Abril - VIII Capítulo da CONGROG - Confraria do Grog de Santo Antão - Cabo Verde. 
24 de Agosto - Festa da Cebola. Confraria do Presunto e da Cebola do Vale do Sousa.
28  Agosto - II Capítulo da Real Confraria das Cebolas.
29 de Outubro  - Capitulo da Confraria da Pedra na Madalena em Vila Nova de Gaia.

10 de Dezembro - Ceia de Natal da Confraria do Presunto e da Cebola do Vale do Sousa.

Presença na Cerimónia de Entronização da Confraria dos Sabores Poveiros


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participa na 4.ª Cerimónia de Entronização da Confraria dos Sabores Poveiros, que decorre na Póvoa de Varzim. 

08 dezembro 2015

Confraria madeirense preencheu 2015 com presenças regulares em Portugal e no estrangeiro


Informação

No ano de 2015 a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira esteve presente nos seguintes eventos realizados fora da Região Autónoma da Madeira.

> Janeiro

 1º- Capítulo da Cofradia Amigos de los Nabos de Foz de Morcin, Astúrias - Espanha.
 2º- Panelo em Londres - Inglaterra.
 3º- Capítulo da Confraria do Vinho de Lamas, Miranda do Corvo - Portugal. 
 4º- Capítulo da Confraria Gastronómica do Bacalhau, Ílhavo - Portugal. 

Fevereiro

 5º- Bolsa de Turismo de Lisboa - Portugal.
 6º- Capítulo da Confraria do Mel, Bragança - Portugal.

> Março

 7º- Capítulo da Confraria Gastronómica"As Sainhas", Vagos - Portugal.
 8º- Capítulo da Confraria Gastronómica do Sever do Vouga, Sever do Vouga - Portugal
 9º- Capítulo da Cofradia se la Sidra Natural de Gipuzka"Tolare", Hernami - Espanha.
10º- Capítulo da Confraria do Bolo de Ança, Ança - Portugal.
11º- Capítulo da Confraria da Geropinga de Moinhos e Arredores, Moinhos - Portugal.
12º- Capítulo da Confraria dos Vinhos Transmontanos, Trás-os-Montes - Portugal.
13º- Assembleia Geral da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas - Portugal continental.

> Abril

14º- Evento da Confraria do Presunto e da Cebola do Vale do Sousa, Vale do Sousa - Portugal.
15º- Capítulo da Cofradia del Relleno de Navarra, Navarra - Espanha.
16º- Capítulo da Confraria do Grogue de Santo Antão, Santo Antão - Cabo Verde.
17º- Capítulo da Cofradia del Queso Cantábrico, Santander - Espanha.
18º- Capítulo da Confraria das Almas Santas de Areosa e do Leitão, Águeda - Portugal.

> Maio

19º- Capítulo da Confraria Gastronómica de Lamego, Lamego - Portugal.
20- Capítulo da Confraria dos Gastrónomos da Região de Lafões, Viseu - Portugal.
21º- Capítulo da Confraternita della Frittata e del Fungo di Cevabano, Cevibando - Itália.
22º- Capítulo da Confraria Gastronómica Pinhal do Rei, Leria - Portugal.
23º- Capítulo da Confraria Gastronómica de Almeirim, Ribatejo - Portugal.
24- Capítulo da Confraria Gastronómica do Mar, Matosinhos - Portugal.
25- Capítulo da Confraria do Azeite, Fundão - Portugal.
26º- Capítulo  da Confraria Gastronómica de Arroz de Aba de Cinfães, Cinfães - Portugal.

> Junho

27º- Capítulo da Confraria da Sopa do Vidreiro, Marinha Grande - Portugal.
28º- Capítulo da Confrérie du Franc Thour Nostre Damme de Chiney, Chiney - Bélgica.
29º- Capítulo da Confrérie du Gruyére - Suíça.
30º- Cerimonia da entrega do Prémio de Boas Práticas para a valorização da Gastronomia - Portugal.
31º- Capítulo da Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar, Ovar - Portugal.
32º- Capítulo da Confrérie des Compagnons du Brie de Meaux, Ile de France - França.

> Julho

33º- Capítulo da Academia Gastronómica e Cultural da Caça - Portugal.
34º- Capítulo da Confraria do Anho Assado com Arroz de Forno, Marco de Canaveses - Portugal.
35º- Evento da Confraria da Caldeirada de Peixe e Camarão de Espinho, Espinho - Portugal.
36º- Capítulo da Confraria do Bodo, Pombal - Portugal.
37º- Capítulo da Confraria da Pedra, Vila Nova de Gaia - Portugal.

> Agosto

38º- Capítulo del Serenisimo Albariño, Cambados - Espanha.
39º- Viagem Medieval, Santa Maria da Feira - Portugal.
40º- Capítulo da Confraria do Presunto e da Cebola do Vale do Sousa, Vale do Sousa - Portugal.
41º- Capítulo da Real Confraria Gastronómica da Cebola - Portugal.
42º- Capítulo da Odre de la Channe - Suíça.

> Setembro

43º- Capítulo da Confrérie du Stofé - Bélgica 
44º- Reunião da direção da FPCG - Portugal.
45º- Capítulo da Confraria Gastronómica da Maça, Moita da Beira - Portugal.
46º- Capítulo da Confraria das Papas de S.Miguel, Oliveira de Azeméis - Portugal.
47º- Capítulo da Cofradia de los amigos del Queso Gamoneu, Astúrias - Espanha.

> Outubro

48º- "Chapitre des Accordeilles"da Confrérie du Gruyére, Martigny - Suíça.
49º- Cerimonia de Entronização do Consilivm VinorvmTarraconensivm, Tarragona - Espanha.
50º- Capítulo da Confrérie des Compagnons du Gait-Mollet - Suíça.
51º- Assembleia Eleitoral da FPCG - Portugal.
52º- Capítulo da Accademia della Castagna Bianca di Mondovi-Studium Monregalensis Castanae, Mondovi - Itália.
53º- Capítulo da Real Confraria do Maranho, Pampilhosa da Serra - Portugal.

> Novembro

54º- 1º Aniversário da Confraria da Caldeirada de Peixe e do Camarão de Espinho, Espinho - Portugal.
55º- Visita a adegas e prova de Vinho Austríaco - Áustria.
56º- Capítulo da Európsky Vinarsky Rytiersky Stav -Eslováquia. 
57º- Participação no evento "Matine pensante"em Bruxelas - Bélgica.
58º- Capítulo da Odre des Kuulkappers de Saint-Gilles - Bélgica.
59º- Capítulo da Confraria Queirosiana,Vila Nova de Gaia - Portugal.
60º- Capítulo da Confraria Nabos e Companhia, Mira - Portugal.
61º- Capítulo da Confraria do Caco, S.Tirso - Portugal.



> Dezembro

62º- Capítulo da Enxebre e Pelegrina Confradia da Aguardente e da Queimada no País Basco, San Sebastian - Espanha.
63º - 4.ª Cerimónia de Entronização da Confraria dos Sabores Poveiros, Póvoa de Varzim - Portugal. 

A direção da AMC/CGM
Estreito de Câmara de Lobos, Dezembro de 2015.

02 dezembro 2015

AMC/CGM agenda presença na Áustria em Maio de 2016

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira agendou a sua presença no dia 21 de Maio de 2016 na cidade de Salzburgo, Áustria, na Cerimónia de Entronização de novos membros da Confraria do Vinho Austríaco. 


01 dezembro 2015

Munus mortem porcus MMXV

Caros confrades, 

Escrevo esta minha rubrica não na condição de presidente da Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira (cargo que deixei de exercer após o XV Capítulo), mas sim e simplesmente na condição de confrade fundador desta associação cultural e gastronómica da Região Autónoma da Madeira. Por esta razão as minhas opiniões não têm vinculação obrigatória à actual direção da Confraria Gastronómica da Madeira.

Caros confrades e amigos, em 2015 a direção da confraria madeirense teve a coragem de reorganizar no plano interno a Confraria. Desvinculou ou aceitou a desvinculação de 82 confrades passando de 117 confrades efetivos/número para 35, estando incluídos neste último número os elementos entronizados no XV Capítulo. E finalmente aceitou a minha demissão passando a Confraria a ser dirigida por uma Comissão Diretiva.

No plano nacional, em 2015, a confraria madeirense contribuiu para a defesa e evolução do movimento confrádico nacional, assinou um protocolo de geminação e de intercâmbio com a Confraria dos Vinhos Transmontanos e foi madrinha da Real Confraria da Cebola, criada em Portugal Continental. 
Participou em vários eventos confrádicos e quase na totalidade das Assembleias da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas. 
Aceitou fazer parte dos órgãos diretivos da FPCG para o triénio 2016-2018, esteve na linha da frente na defesa da captura do Peixe Xara-branca ou Gata (bacalhau de Câmara de Lobos), na dieta e gastronomia atlântica. Participou activamente na defesa e promoção da Sidra da Madeira, realizou 11 eventos gastronómicos na Região Autónoma da Madeira e o seu XV Capítulo, que teve lugar no fim de Abril de 2015, teve a duração de 4 dias.

Houve muitos propósitos que a confraria aspirava ou idealizou concretizar durante o ano que está prestes a finalizar mas não o conseguiu. No entanto, deu corpo a outros projectos que não tinham sido pensados e acabou por realizá-los. 
Tem um bom relacionamento com a Secretaria Regional de Agricultura e Pescas, com as Câmaras Municipais de Câmara de Lobos, Funchal, Porto Moniz, Calheta e com outros organismos públicos. No aspecto de relações internacionais, participou em três Capítulos de Confrarias na Bélgica, num "Panelo" na cidade de Londres, em dois Capítulos de Confrarias Italianas, em 6 Capítulos de Confrarias de Espanha, tendo um destes Capítulos se realizado na Catalunha e que penso ser a Confraria da Madeira a 1.ª confraria Portuguesa a marcar presença nesta região de Espanha.
A confraria da Madeira foi também a 1ª confraria portuguesa a receber no seu Capítulo uma comitiva da Suíça e uma Ordem da República Eslováquia. E foi, igualmente, a 1ª confraria Portuguesa a ser convidada e a estar presente num evento da 'EurópskyVinársky Rytiersky Stav' que se realizou na República da Eslováquia. A confraria madeirense participou em três Capítulos de confrarias e de uma Ordem Suíças. 
No total e apenas em 2015, a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participou em 56 Capítulos / Eventos Confrádicos realizados fora da Região Autónoma Madeira.

Congratulo-me com o sucesso que a actual direção da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas e a sua presidente, Olga Cavaleiro, obteve em 2015. O vídeo transmitido nos voos da TAP, a declaração do Dia da Gastronomia Nacional, as publicações das Confrarias no Semanário "Sol" merecem os meus aplausos. 
No entanto, discordo que os artigos sobre as confrarias publicadas no semanário "Sol" tivessem todos eles sido assinados pela presidente da FPCG, porque acredito e começando pela AMC/CGM que todas as Confrarias têm capacidade de escrever e assinar o respectivo texto.

Sou da opinião de que a existência da FPCG é de máxima importância para o movimento confrádico nacional, para as Confrarias e para defesa da herança cultural gastronómica de Portugal. No entanto defendo de que sem as Confrarias não existiria a Federação e que esta está, por isso, obrigada a respeitar as Confrarias e a não querer transformar a FPCG numa "Liga Portuguesa de Futebol Profissional".

Após as Assembleias Gerais da FPCG há sempre alguns confrades que questionam as razões da ausência das "grandes Confrarias Portuguesas". Mas será que uma Confraria que falta constantemente às Assembleias Gerais da Federação, que ajudou a fundar, pode ser considerada uma grande confraria?
Igualmente será verdade que existem Confrarias Federadas que têm comportamentos hostis para com a Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas. Penso que não! O que poderá acontecer, ou acontece muitas vezes, é uma falha de comunicação entre a direção da FPCG e as respetivas direções de algumas Confrarias. É necessário melhorar esta comunicação pois, reconhecendo a importância da FPCG para o movimento confrádico nacional e internacional, não posso igualmente deixar de reconhecer que as Confrarias de uma forma individual e particular são igualmente instituições de máximo valor e fundamentais para a defesa da herança cultural gastronómica e baquica de Portugal. É, como tal, necessário reconhecer de que a FPCG não foi criada para substituir as funções das Confrarias mas sim para promover a união e a projeção do movimento confrádico nacional.
      
Tendo em consideração de que no ano de 2015 a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira foi referenciada na comunicação social regional, nacional e internacional por 70 vezes, isto é mais do que uma vez por semana, não compreendo a quase ou total ausência da FPCG neste meio de máxima importância para a sua imagem e para a defesa da herança cultural gastronómica portuguesa, das suas regiões e das Confrarias. 

Como é de conhecimento geral, Portugal tem duas línguas oficiais: o Português e o Mirandês. É igualmente importante reconhecer que Portugal é possuidor de duas gastronomias e dietas distintas: a Mediterrânica e a Atlântica. Embora diferentes e sendo ambas ricas e saudáveis, ao falar da gastronomia Portuguesa a FPCG terá que ter em consideração este aspeto. 

Confesso que fui consultado para manifestar a minha opinião sobre a recandidatura da Sr.ª Olga Cavaleiro. E a minha opção foi de aconselhar aos actuais responsáveis da AMC/CGM a apoiar a respetiva candidatura, acreditando no entanto de que a próxima direção da FPCG será mais coletiva e menos unicamente a Sr.ª Olga Cavaleiro.

Há uns anos atrás a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira defendeu a ideia da criação, no espaço geográfico da Macaronesia (Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde), da FICIA - Federação Internacional das Confrarias das Ilhas do Atlântico. E informo de que tenho conhecimento de que este projeto será posto em execução já em 2016.

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira sempre assumiu-se como uma confraria regionalista. No entanto, é igualmente defensora do estabelecimento de relações de amizade e de intercâmbio com confrarias nacionais e ou internacionais.

Terminado este meu texto, na qualidade de um simples confrade, desejo que este princípio continue por muitos anos na vida da Confraria que acredito que será longa.


Com os melhores cumprimentos, 
Gregório J.S.Freitas


(Dezembro de 2015)
Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Academia Madeirense das Carnes - Confraria Gastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top