28 setembro 2016

Ribeira Brava receberá o nosso encontro mensal de Outubro


(...) e pozeram muitos dias no caminho até  chegarem dahi a três leguas a uma furiosa ribeira,na praya da qual estava aguardando o Capitam,que em terra desembarcara,e tinha ahi traçado huma povoação,a que deu nome Ribeira Brava pela que corria neste logar (...)
                                                                                                                    Gaspar Frutuoso.

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira faz saber que o seu encontro de Outubro irá realizar-se no dia 8, no município da Ribeira Brava, Região Autónoma da Madeira.

Estreito de Câmara de Lobos, 28 de Setembro de 2016.

Mostra Regional da Sidra no Santo da Serra

A XXVI edição da Mostra Regional da Sidra, no dias 1 e 2 de Outubro, promete levar muita animação ao Santo da Serra, alémd e introduzir algumas novidades no programa.
Pela primeira vez, haverá uma palestra - “A Produção de Maça em Modo Biológico” e “Os Desafios do Futuro da Sidra”, tendo como espaço de conferência o coreto existente no adro da igreja e um cortejo alegórico e etnográfico que desfilará desde a Feira do Santo da Serra até ao local da Mostra, a praça do Santo da Serra.
Outra novidade deste evento é a própria designação 'Mostra Regional da Sidra', congregando produtores da bebida dos concelhos de Santa Cruz, Machico, Santana, Calheta e Câmara de Lobos.
Numa organização da Casa do Povo do Santo da Serra e da Secretaria Regional da Agricultura e Pescas e com o apoio da Câmara Municipal de Santa Cruz este certame tem um programa de animação que deverá atraiar muitos visitantes ao Santo da Serra.
Fonte: Diário de Notícias da Madeira, edição on-line. 

9.º episódio do documentário 'Ilhas da Macaronésia'

As similitudes entre os arquipélagos de Cabo Verde, Madeira e Açores, numa co-produção entre as televisões destas ilhas dão forma a uma série de documentários intitulados 'Ilhas da Macaronésia'.
Da formação vulcânica, à fauna e flora, estes episódios dão a conhecer o que Açores, Madeira e Cabo Verde têm em comum e como é que os seus nativos se relacionam com os recursos naturais.
Esta terça-feira, 27 de Setembro, a RTP-Madeira transmitiu o 9.º episódio deste programa televisivo. Trata-se de mais um episódio que não vai querer perder!

Vídeo do episódio 9 disponível através do endereço: www.rtp.pt/play/p2610/e252008/ilhasmacaronesia



Vídeo do episódio 8 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e250758/ilhasmacaronesia



Vídeo do episódio 7 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e248995/ilhasmacaronesia

A Madeira, tal como as restantes ilhas da Macaronésia, é uma ilha afortunada pela presença de uma natureza imponente, bela e rica em biodiversidade endémica e indígena.

Vídeo do episódio 6 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e248295/ilhasmacaronesia 


Vídeo do episódio 5 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e247568/ilhasmacaronesia

"Os cabo-verdianos são descendentes de antigos africanos (livres ou escravos) e de europeus de várias proveniências, na sua maioria portugueses mas também italianos, franceses ou espanhóis entre outros povos europeus. Há também cabo-verdianos que têm antepassados judaicos vindos do Norte África principalmente nas ilhas de Boavista, Santiago e Santo Antão. Grande parte dos cabo-verdianos emigrou para o estrangeiro, principalmente para os Estados Unidos, Portugal e França, de modo que há mais cabo-verdianos a residir no estrangeiro que no próprio país. É marcadamente jovem na sua estrutura etária, com quarenta por cento dos efectivos entre os 0 e 14 anos (estimativa 2005) e apenas 6 por cento acima dos 65 anos. A média de idades da população cabo-verdiana ronda os 24 anos. A esperança média de vida, que, em 1975, rondava os 63 anos, atingiu, em 2003, os 71 anos (67 para homens; 75 para as mulheres). A taxa de mortalidade infantil, que, em 1975, rondava os 110 por milhar, representava, em 2004, um valor de 20 por milhar (44 por milhar em 1990; 26 por milhar em 2000), um valor inferior às taxas de outros países de categoria de rendimento semelhante. A taxa de crescimento da população, dependente dos fluxos migratórios, situou-se, no decénio 1990-2000 (data do último censo populacional), em cerca de 2,4 por cento, valor que se manteve constante até 2005. De aí em diante, prevê-se que a mesma estabilize em torno do 1,9 por cento. Os agregados familiares, em 2006, eram constituídos, em média, por 4,9 membros (5 no meio rural e 4,5 no meio urbano). Ao contrário dos países do continente africano, não há etnias em Cabo Verde. Em contrapartida, a trajectória histórica do país incluiu, desde o início, um processo de formação de classes sociais. Neste momento, pode constatar a ausência de uma "burguesia", mas a existência de vários tipos de "pequena burguesia", numericamente significativos. A grande maioria da população é, no entanto, constituído pelo campesinato e algum operariado."



Vídeo do episódio 4 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e246984/ilhasmacaronesia 

"A agricultura foi historicamente o sector dominante na economia madeirense, a partir da qual vivia a maior parte de população. Apesar do solo vulcânico ser fértil, o relevo montanhoso (que conduziu à plantação em socalcos ou poios como são conhecidos regionalmente) impede a mecanização.  Ao nível da organização do espaço agrícola podem ser distinguidos três andares. Nas terras de baixa altitude junto ao mar localizam-se as culturas de maior rendimento, como a banana da Madeira, a anona, a manga, cana-de-açúcar e omaracujá e outras espécies tropicais. No nível intermédio situam-se culturas alimentares como a batata, feijão, trigo e milho e árvores de fruta da região mediterrânea (figueira, nespereira), em sistema de policultura. Nas altitudes mais elevadas encontram-se os pastos, pinhais e bosques.  A pecuária complementa a actividade agrícola. O tipo de gado predominante é o ovino e caprino, com menor presença do bovino. Para além do seu papel na alimentação, o gado proporciona o adubo natural.  A pesca recorre a métodos artesanais. As principais espécies capturadas são o atum e o peixe-espada.  Actualmente, o turismo constitui uma fonte média de receitas da economia madeirense. No sector agrícola, a produção de banana dirigida fundamentalmente ao consumo regional e nacional, as flores e o afamado vinho da Madeira, constituem também um importante contributo para a economia regional."


Vídeo do episódio 3 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e246862/ilhasmacaronesia 

"Os Açores são um arquipélago que, embora situado precisamente sobre a Dorsal Média Atlântica, devido à sua proximidade com o continente europeu e à sua integração política na República Portuguesa e na União Europeia é geralmente englobado na Europa.  O arquipélago situa-se no nordeste do Oceano Atlântico entre os 36º e os 43º de latitude Norte e os 25º e os 31º de longitude Oeste. Os territórios mais próximos são a Península Ibérica, a cerca de 2000 km a leste, a Madeira a 1200 km a sueste, a Nova Escócia a 2300 km a noroeste e a Bermuda a 3500 km a sudoeste. Integra a região biogeográfica da Macaronésia."



Vídeo do episódio 2 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e245654/ilhasmacaronesia

"Cabo Verde, oficialmente República de Cabo Verde, é um país insular localizado num arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas na região central do Oceano Atlântico. A cerca de 570 quilómetros da costa da África Ocidental, as ilhas cobrem uma área total de pouco mais de 4.000 quilómetros quadrados.  Os exploradores portugueses descobriram e colonizaram as ilhas desabitadas no século XV, o primeiro assentamento europeu nos trópicos. Idealmente localizado para o comércio de escravos no Atlântico, o arquipélago prosperou e muitas vezes chegou a atrair corsários e piratas, entre eles Sir Francis Drake, na década de 1580. As ilhas também foram visitados pela expedição de Charles Darwin em 1832."


Vídeo do episódio 1 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e244802/ilhasmacaronesia 

"ILHAS DA MACARONÉSIA
A partir do século XIII as Ilhas Afortunadas foram progressivamente identificadas com as Canárias do rei Juba II, acabando por se perder a designação. Contudo, com o advento da biogeografia, o nome foi recuperado na sua forma helenizada como Macaronésia (do grego makaron = afortunado), termo hoje muito em uso nas disciplinas ambientais e progressivamente adoptado para a associação política entre os arquipélagos da periferia ibérica: AçoresMadeira, Canárias e Cabo Verde." 

27 setembro 2016

Estreito de Câmara de Lobos acolheu convívio mensal da AMC/CGM

O encontro mensal referente ao mês de Setembro da Academia Madeirense das Carnes / Confraria Gastronómica da Madeira teve como palco o Estreito de Câmara de Lobos, local em festa no âmbito da Festa das Vindimas. O Restaurante Santo António acolheu um convívio entre os confrades presentes.














26 setembro 2016

Aguardente medalhada com ouro no México

Depois da ‘Branca’ em Londres, agora foi a vez da ‘Branca Selecção’ brilhar no México.


A já famosa aguardente de cana produzida nos ‘Engenhos do Norte’ voltou a arrecadar uma medalha de ouro internacional, desta feita no México e a premiar a ‘Branca Selecção’ na classe de rum agrícola.
Depois de a ‘Branca’ ter arrecadado, no início do Verão, a brilhante distinção dourada em Londres, por ocasião da 21.ª edição da International Spirits Challenge, competição de bebidas espirituosas de todo o mundo, que contou com mais de 1.300 marcas oriundas de cerca de 70 países, agora foi a vez da ‘Branca Selecção’ ser premiada com medalha de ouro no Concurso Mundial de Bebidas Espirituosas ‘Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles’. Evento internacional realizado no final de Agosto, na cidade mexicana de Tequila, que contou com cerca de 1200 amostras oriundas de 48 países.
As degustações em prova cega foram efectuadas por 74 júris especialistas em bebidas espirituosas, de 23 diferentes nacionalidades. Américo Pereira, o escanção madeirense, foi o único jurado a representar Portugal no painel de especialistas de renome internacional.
Neste evento que premeia espirituosos de todo o mundo - uísques, conhaques, aguardentes, rum, vodkas, gins, piscos, aguardente, baijius e tequilas – o rum agrícola/aguardente de cana ‘Branca Selecção’ produzido no engenho do Porto da Cruz por J. Faria & Filhos Lda., deixou o exigente júri rendido.
O reconhecimento agora alcançado nas ‘Américas’ só vem reforçar a fama que a ‘apetecível aguardente’ madeirense já havia conquistado no ‘Velho Continente’ e em ‘terras de Sua Majestade’.
A ‘Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles’ é uma grande competição internacional itinerante que tem vindo a realizar-se em vários países de diferentes continentes. Depois de Taiwan em 2013, Brasil em 2014 e China em 2015, este ano a ‘Spirits Selection’ ocorreu de 24 a 26 de Agosto na cidade de Tequila, no México.
No próximo ano a adição deste concurso mundial volta a ter lugar nas América Latina, ‘descendo’ até a Região de Coquimbo, no Chile
Até lá, quem provar da ‘Branca Selecção’ vai certamente saber-lhe ‘a ouro’!

(Fonte: Diário de Notícias da Madeira, edição impressa de 26 de Setembro 2016.)


Vídeo divulgado por cortesia com a "Cofradia do Centolo de O Grove"

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira por cortesia e tendo muito boas relações com o "Capítulo del Serenisimo Albariño" e com a "Cofradia do Centolo de o Grove" publica no seu site este vídeo.
Estreito de Câmara de Lobos, 26 de Setembro de 2016.

22 setembro 2016

Presença agendada para o "Capítulo da Ordre de la Channe" na Suíça


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronomica da Madeira informa de que participará no "Capítulo da Ordre de la Channe", que se realiza no dia 22 de Outubro, no Château de Chillon no Cantão de Vaud, Região Lemánica na Suíça.

Estreito de Câmara de Lobos, 22 de Setembro de 2016. 

Família Blandy em foco na série televisiva 'Famílias Vintage' da SIC


Na segunda edição da série 'Famílias Vintage', a SIC veio à Madeira para conhecer os Blandy, "uma família que ultrapassou crises e guerras em nome de um património natural português".
"Esta dinastia de comerciantes ingleses chegou à ilha há 200 anos e possui actualmente um dos stocks mais valiosos do vinho da Madeira, célebre em todo o Mundo", lembra a SIC.

21 setembro 2016

8.º episódio do documentário 'Ilhas da Macaronésia'

As similitudes entre os arquipélagos de Cabo Verde, Madeira e Açores, numa co-produção entre as televisões destas ilhas dão forma a uma série de documentários intitulados 'Ilhas da Macaronésia'.
Da formação vulcânica, à fauna e flora, estes episódios dão a conhecer o que Açores, Madeira e Cabo Verde têm em comum e como é que os seus nativos se relacionam com os recursos naturais.
Neste dia 20 de Setembro, a RTP-Madeira transmitiu o oitavo episódio deste programa televisivo. Trata-se de mais um episódio que não vai querer perder!

Vídeo do episódio 8 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e250758/ilhasmacaronesia



Vídeo do episódio 7 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e248995/ilhasmacaronesia

A Madeira, tal como as restantes ilhas da Macaronésia, é uma ilha afortunada pela presença de uma natureza imponente, bela e rica em biodiversidade endémica e indígena.

Vídeo do episódio 6 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e248295/ilhasmacaronesia 


Vídeo do episódio 5 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e247568/ilhasmacaronesia

"Os cabo-verdianos são descendentes de antigos africanos (livres ou escravos) e de europeus de várias proveniências, na sua maioria portugueses mas também italianos, franceses ou espanhóis entre outros povos europeus. Há também cabo-verdianos que têm antepassados judaicos vindos do Norte África principalmente nas ilhas de Boavista, Santiago e Santo Antão. Grande parte dos cabo-verdianos emigrou para o estrangeiro, principalmente para os Estados Unidos, Portugal e França, de modo que há mais cabo-verdianos a residir no estrangeiro que no próprio país. É marcadamente jovem na sua estrutura etária, com quarenta por cento dos efectivos entre os 0 e 14 anos (estimativa 2005) e apenas 6 por cento acima dos 65 anos. A média de idades da população cabo-verdiana ronda os 24 anos. A esperança média de vida, que, em 1975, rondava os 63 anos, atingiu, em 2003, os 71 anos (67 para homens; 75 para as mulheres). A taxa de mortalidade infantil, que, em 1975, rondava os 110 por milhar, representava, em 2004, um valor de 20 por milhar (44 por milhar em 1990; 26 por milhar em 2000), um valor inferior às taxas de outros países de categoria de rendimento semelhante. A taxa de crescimento da população, dependente dos fluxos migratórios, situou-se, no decénio 1990-2000 (data do último censo populacional), em cerca de 2,4 por cento, valor que se manteve constante até 2005. De aí em diante, prevê-se que a mesma estabilize em torno do 1,9 por cento. Os agregados familiares, em 2006, eram constituídos, em média, por 4,9 membros (5 no meio rural e 4,5 no meio urbano). Ao contrário dos países do continente africano, não há etnias em Cabo Verde. Em contrapartida, a trajectória histórica do país incluiu, desde o início, um processo de formação de classes sociais. Neste momento, pode constatar a ausência de uma "burguesia", mas a existência de vários tipos de "pequena burguesia", numericamente significativos. A grande maioria da população é, no entanto, constituído pelo campesinato e algum operariado."



Vídeo do episódio 4 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e246984/ilhasmacaronesia 

"A agricultura foi historicamente o sector dominante na economia madeirense, a partir da qual vivia a maior parte de população. Apesar do solo vulcânico ser fértil, o relevo montanhoso (que conduziu à plantação em socalcos ou poios como são conhecidos regionalmente) impede a mecanização.  Ao nível da organização do espaço agrícola podem ser distinguidos três andares. Nas terras de baixa altitude junto ao mar localizam-se as culturas de maior rendimento, como a banana da Madeira, a anona, a manga, cana-de-açúcar e omaracujá e outras espécies tropicais. No nível intermédio situam-se culturas alimentares como a batata, feijão, trigo e milho e árvores de fruta da região mediterrânea (figueira, nespereira), em sistema de policultura. Nas altitudes mais elevadas encontram-se os pastos, pinhais e bosques.  A pecuária complementa a actividade agrícola. O tipo de gado predominante é o ovino e caprino, com menor presença do bovino. Para além do seu papel na alimentação, o gado proporciona o adubo natural.  A pesca recorre a métodos artesanais. As principais espécies capturadas são o atum e o peixe-espada.  Actualmente, o turismo constitui uma fonte média de receitas da economia madeirense. No sector agrícola, a produção de banana dirigida fundamentalmente ao consumo regional e nacional, as flores e o afamado vinho da Madeira, constituem também um importante contributo para a economia regional."


Vídeo do episódio 3 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e246862/ilhasmacaronesia 

"Os Açores são um arquipélago que, embora situado precisamente sobre a Dorsal Média Atlântica, devido à sua proximidade com o continente europeu e à sua integração política na República Portuguesa e na União Europeia é geralmente englobado na Europa.  O arquipélago situa-se no nordeste do Oceano Atlântico entre os 36º e os 43º de latitude Norte e os 25º e os 31º de longitude Oeste. Os territórios mais próximos são a Península Ibérica, a cerca de 2000 km a leste, a Madeira a 1200 km a sueste, a Nova Escócia a 2300 km a noroeste e a Bermuda a 3500 km a sudoeste. Integra a região biogeográfica da Macaronésia."



Vídeo do episódio 2 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e245654/ilhasmacaronesia

"Cabo Verde, oficialmente República de Cabo Verde, é um país insular localizado num arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas na região central do Oceano Atlântico. A cerca de 570 quilómetros da costa da África Ocidental, as ilhas cobrem uma área total de pouco mais de 4.000 quilómetros quadrados.  Os exploradores portugueses descobriram e colonizaram as ilhas desabitadas no século XV, o primeiro assentamento europeu nos trópicos. Idealmente localizado para o comércio de escravos no Atlântico, o arquipélago prosperou e muitas vezes chegou a atrair corsários e piratas, entre eles Sir Francis Drake, na década de 1580. As ilhas também foram visitados pela expedição de Charles Darwin em 1832."


Vídeo do episódio 1 disponível através do endereço: http://www.rtp.pt/play/p2610/e244802/ilhasmacaronesia 

"ILHAS DA MACARONÉSIA
A partir do século XIII as Ilhas Afortunadas foram progressivamente identificadas com as Canárias do rei Juba II, acabando por se perder a designação. Contudo, com o advento da biogeografia, o nome foi recuperado na sua forma helenizada como Macaronésia (do grego makaron = afortunado), termo hoje muito em uso nas disciplinas ambientais e progressivamente adoptado para a associação política entre os arquipélagos da periferia ibérica: AçoresMadeira, Canárias e Cabo Verde." 

Cancelada a presença na Eslováquia em Outubro

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira faz saber de que, ao contrário de que estava agendado, não estará presente em Outubro, na Eslováquia, no evento organizado pela "Europky Vinarsky Retiersky Stav" e informa que tenciona estar presente em 2017 num próximo evento organizado por esta ordem báquica da Eslováquia.

Estreito de Câmara de Lobos, 21 de Setembro de 2016.

20 setembro 2016

Presença na 54.ª Festa das Vindimas de Russin e 22.° Capítulo da Academia do Cep de Geneve

A Confraria du Cep de Geneve, fundada em 1953, celebrou nestes dias 17 e 18 de Setembro 2016 o seu 22.° Capítulo enquadrado como habitualmente nas Festas das Vindimas de Russin, cantão de Geneve onde tem também a sua sede. 
Mesmo com o facto do tempo não ter ajudado muito, visto ter chovido durante estes dois dias, não foi por isso que a festa deixou de ser bonita e o Capítulo em si traduziu-se num grande momento de encontro para os confrades membros da Confraria do Cep e os seus convidados. 
Foi mais um Capítulo onde tive todo o prazer de representar a Confraria Gastronómica da Madeira perante uma plateia recheada de muitos convidados, quer seja no mundo dos negócios, políticos e demais pessoas relacionadas ao vinho. De salientar a presença de muitos políticos de relevo a nível internacional, nacional e regional. Desde Ministros vindos de França, contando entre eles o Ministro dos Negócios Estrangeiros e do Comércio Externo de Tahiti, deputados do grande Conselho de Geneve, membros do Conselho e Administração Federal, presidentes de Câmara e entidades de alto relevo policial e civis.

É sempre assunto de intriga e que chama a atenção a nossa carapuça. As perguntas são sempre muitas e é sempre com muito orgulho que vou falando da Confraria Gastronómica da Madeira, quais os seus objetivos e que vou também tentando, o melhor que posso, divulgando o Destino Madeira, quer seja eventualmente para participar num próximo Capítulo da nossa Confraria mas também incentivando para visitarem a Madeira como destino de férias. 
A recepção é sempre muito boa e as intenções de visitarem a Madeira são de relevar, tendo já mutas pessoas visitado a nossa Região e que me transmitem um bom sentimento. O que é sempre bom ouvir palavras a qualificar a nossa terra de acolhedora e que tem gente muito amavél. Sendo que a Secretária desta Confraria ocupa o cargo na Federação Internacional das Confrarias Báquicas (FICB), a Srª Laurence Guillon, cuja sede está em Paris, foi a ocasião também de trocar algumas palavras sobre o evento que se vai realizar na Macedónia, de 31 Maio a 3 Junho de 2018. O congresso que marcará o 50.° aniversário da FICB. E foi com muito entusiasmo que a Srª Laurence aceitou a ideia que será transmitida ao seu presidente, Alain Bryden, e assim que possível mais informação será dada.


Para terminar, quero deixar um grande abraço a todos os amigos da Confraria Gastronómica da Madeira e dizer-vos que tenho muito orgulho ser vosso embaixador e continuarei a dar o meu melhor para divulgar a nossa Confraria.

Texto elaborado pelo confrade presente neste evento: Lino de Jesus Dionísio.

















Referência ao evento no Jornal 'Tribune de Genève":


Vídeo: https://youtu.be/yVi9r9mBcv0



Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Academia Madeirense das Carnes - Confraria Gastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top