20 setembro 2017

Agendada presença a 7 de Outubro no VII Capítulo da "Confraria Carolos e Papas de Milho"


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira agendou a sua presença no VII Capítulo da "Confraria Carolos e Papas de Milho", que se realizará no dia 7 de Outubro em Tondela, Viseu.

Estreito de Câmara de Lobos, 20 de Setembro de 2017.

Garrafa de Vinho Madeira é arrematada por 6.650 euros em leilão internacional

Segundo os especialistas da Catawiki, este é um dos raros vinhos da produção vinícola das vinhas Terrantez do século XVIII ainda em circulação.

Uma garrafa de vinho Terrantez 1795 da Companhia Vinícola da Madeira foi recentemente leiloada por 6.650 euros na Catawiki (www.catawiki.pt), portal de leilões na Internet de mais rápido crescimento.

O Terrantez representa uma variedade de vinho da ilha portuguesa da Madeira em vias de extinção. “Conta-se que esta variedade tenha sido levada para o arquipélago vulcânico da Madeira pelos primeiros exploradores. No passado, alguns comentadores de vinhos sugeriram ainda que se tratava da mesma variedade do Folgasão, mas pesquisas ampelográficas modernas refutam essa teoria. A Terrantez é uma casta rara e, neste momento, encontra-se quase extinta, daí o elevado valor pelo qual esta garrafa foi leiloada”, explicam da parte da Catawiki.

Devido ao facto de as vinhas Terrantez produzirem pouca quantidade de uvas de elevada qualidade, o cultivo das videiras representa um investimento significativamente mais elevado do que as variedades mais resistentes e de elevado rendimento. Trata-se de uma vinha rara e de prestigio, onde é cada vez mais difícil encontrar-se edições vintage como a deste lote, daí ser muito procurada por colecionadores e investidores de vinhos.

Os vinhos da Madeira e vinhos do Porto representam duas das mais procuradas categorias de vinhos na plataforma de leilões da Catawiki e, nos últimos dois anos já foram arrematados em leilões mais de 6.500 vinhos que representam a identidade portuguesa.

Entre os vinhos portugueses em leilão atualmente podem-se encontrar algumas raridades como um Porto Niepoort de 1937, um Porto Messias de 1947, e uma garrafa de Vinho da Madeira Boal Solera de 1930. Todas as semanas, a Catawiki realiza leilões de Vinhos do Porto e Vinhos Doces, que incluem alguns dos mais raros exemplares procurados por colecionadores.


19 setembro 2017

Presenças da confraria madeirense na Suíça e França


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira marcou presença no Capítulo da Academie du Cep, na Suíça, e no Capítulo da Confrérie de Moustarde de Dijon, em França.

Estreito de Câmara de Lobos, 18 de Setembro de 2017.


A Academia Madeirense das Carnes/ Confraria Gastronómica da Madeira esteve presente, na Suíça, no dia 16 de setembro 2017 no XXIII Capítulo da Academia do Cep, em Russin, perto de Genebra, cujo capítulo está inserido nas festividades das festas das vindimas de Russim, sendo mesmo só depois do capítulo terminado que a confraria, acompanhada dos seus convidados e na companhia do presidente da Câmara, do presidente das Festas e a madrinha da Festa vão cortar a fita e declarar a festa aberta. 

No dia 17 de setembro esteve em França para participar no XX Capítulo da Confraria da Mostarda, que se realizou na cidade de Dijon. 











La Confrérie de la moutarde a défilé dans les rues de Dijon


Ce dimanche, malgré la pluie, la Confrérie de la moutarde a défilé dans le centre-ville de Dijon. Elle avait invité d'autre confréries, notamment celles de l'escargot, de la myrtille, venant de France, Suisse, ou encore de Belgique. Les costumes ont apporté une touche de couleur à la météo maussade.


Informação das confrarias gastronómicas asturianas na página oficial do Turismo das Astúrias


Sendo a Região Autónoma da Madeira a mais antiga região turística de Portugal, continuando a ser uma das mais importantes de Portugal e uma das mais antigas do mundo, possuidora de características muito próprias e específicas da área geográfica da qual faz parte e da cultura do seu povo, não deveria ter medo de copiar ou adoptar em certas circunstâncias alguns bons exemplos de outras regiões turísticas existentes em outras localidades e sempre sem colocar em perigo a identidade própria do seu povo e do destino turístico Madeira. 
Um desses exemplos a seguir seria o do Governo da Comunidade Autonómica do Principiado das Asturias em relação às Confrarias.

Gregório Julião da Silva Freitas
(Presidente da AMC/CGM 2000-2016)



"Informamos que ya se puede visionar la información de las Cofradías Gastronómicas Asturianas asociadas a FECOASTUR en la página web "TURISMO DE ASTURIAS" que edita el Gobierno del Principado de Asturias.

El enlace de la página es: https://www.turismoasturias.es/descubre/gastronomia/cofradias-gastronomicas.

Dado el número de visitas mensuales que recibe dicha página (5 millones) creemos que la inclusión de nuestras actividades en la misma puede ser un hito importante para darnos a conocer a un público muy variado e interesante."

18 setembro 2017

Confraria Gastronómica madeirense presente na Suíça e em França


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira esteve presente na Suíça no dia 16 de Setembro 2017 no XXIII Capítulo da Academie do Cepem Russin, perto de Genebra.



Este Capítulo está inserido nas festividades das festas das vindimas de Russim, sendo mesmo só depois do Capítulo terminado que a Confraria acompanhada dos seus convidados e na companhia do Presidente da Câmara, do Presidente das festas e da Madrinha da festa vão cortar a fita e declarar a festa aberta.



No dia seguinte, dia 17 de Setembro 2017, a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira esteve em França para participar no XX Capítulo da Confraria da Mostarda, que se realizou na Cidade de Dijon.

Fonte: Funchal Notícias

Madeira tem 10 pêras inscritas no Catálogo Nacional


A pêra da Ponta do Pargo é uma das selecionadas para integrar as 10 espécies da Madeira que estão inscritas no Catálogo Nacional de Variedades de Espécies Frutícolas, informou hoje Humberto Vasconcelos, secretário regional da Agricultura e Pescas.

O governante esteve, esta manhã, na Festa do Pêro, na Ponta do Pargo, onde observou que tal resultado deve-se ao trabalho “muito grande” na Direção Regional da Agricultura no tratamento desta fruta.

"O nosso director regional, o engenheiro Paulo Santos e a sua equipa, tem feito um trabalho brilhante no tratamento do pêro e este ano, em 2017", explicou, justificando que além de ter sido acrescentado o pêro da Ponta do Pargo, também estava neste catálogo o de Domingos e a Maçã Berral.

"Este é um trabalho na preservação da espécie e da qualidade e no produto tradicional que é o nosso pêro da Ponta do Pargo", disse, agradecendo à equipa da Direção Regional pelo facto de ter 10 espécies no Catálogo Nacional de Varidades.

Humberto Vasconcelos deixou ainda uma palavra à Calheta, tendo em conta o facto de, nos últimos anos, o concelho ter tido "um desenvolvimento muito grande" a nível turístico e é o concelho "com mais alojamento local da Madeira".

Um trabalho que sido feito em conjunto com os “agricultores”, em que a “paisagem cuidada” trouxe rendimentos ao turismo na Calheta e tornou essa atividade “forte”.

“Este trabalho que tem sido feito é importante e o senhor presidente lançou um repto e isso vai ser uma realidade, porque o presidente do Governo Regional está empenhado em iniciar as obras para concluir esta via expresso, tendo dito isso na última reunião”, referiu.

A mensagem ficou também para o presidente da Casa do Povo da Ponta do Pargo, na medida em que o mesmo também contribuiu para a melhoria e dinamização da cultura naquela freguesia.

14 setembro 2017

Rum de ouro 'ardente'

Engenhos do Norte arrecadam a terceira medalha de ouro em três anos.

A competição é destinada a todo o género de bebidas espirituosas, mas foi na categoria de runs agrícolas que o nome da Madeira foi ouvido e elevado no Chile, local onde se realizou o Concurso Mundial deste tipo de bebida alcóolica.

Fonte: Diário de Notícias da Madeira, edição impressa de 13 de Setembro de 2017.


12 setembro 2017

Herdade Agrícola "Casa Velha" recebe no dia 30 o encontro cultural gastronómico de Setembro


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira realiza o seu encontro cultural gastronómico do mês de Setembro no dia 30, com inicio as 13 horas, na Herdade Agrícola "Casa Velha", propriedade de Carlos Soares, vice-presidente da direção da AMC/CGM. Irá igualmente se realizar neste mesmo dia a Assembleia Geral para apresentação e votação das contas da confraria Madeirense.

Estreito de Câmara de Lobos, 12 de Setembro de 2017

08 setembro 2017

Juntos pelo Nabo ou pelos Rojões


Sabe o que é uma chicharada ou um butelo? E já provou uma batata à racha? Conheça as confrarias tradicionais, e as que divulgam produtos desconhecidos.

Primeiro a ideia. Será que a Confraria Nabos & Companhia conseguiria criar um produto que pusesse mais pessoas a gostar de nabo ou de grelos de nabo? "Andava aí a moda do gin e lembrámo-nos de criar uma bebida com nabo", conta à SÁBADO Fábio Ventura, grão-mestre desta organização gastronómica, sedeada na aldeia de Carapelhos, em Mira, distrito de Coimbra. Depois, seguiu-se o desenvolvimento do produto. "Com a ajuda de um dos confrades e de uma parceria com uma empresa local, Caves da Montanha, criámos o ginabo. Demorámos seis meses", conta o responsável pela associação que se dedica à promoção e divulgação destes vegetais.

Motivados pela experiência, apostaram, no ano seguinte, 2015, num gelado – de nabo, claro. E mais uma vez foram aplaudidos. "Quisemos mostrar que é possível inovar", diz o engenheiro mecânico, explicando que por enquanto os produtos não estão à venda no mercado – são consumidos em eventos do grupo constituído por 58 homens. 


Em Carapelhos, freguesia do concelho de Mira com 700 eleitores, 80% das pessoas depende directa ou indirectamente da cultura dos grelos de nabo. "O solo arenoso – estávamos a 7 km do mar – e o microclima tornaram possível esta cultura, que tradicionalmente era feita por mulheres." Em 1954, um jornal de Cantanhede contava que um só ajuntador (intermediário entre os agricultores e os vendedores) tinha reunido 500 mil molhos de grelos. 

A Confraria dos Nabos & Companhia, criada em 2000, é uma das 83 associações sem fins lucrativos, que pertencem à Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FDCG) – haverá outras não filiadas. Numa altura em que não faltam restaurantes gourmet com pratos clean, as confrarias existem para fazer perdurar pratos e produtos tradicionais, como enchidos, doces ou queijos.

"Na década de 1980, surgiram as primeiras associações de defesa e promoção de produtos e pratos típicos portugueses", assegura Olga Cavaleiro, presidente da federação. Uma das percursoras foi a Confraria da Panela ao Lume, criada por Gonçalo dos Reis Torgal, em Guimarães. O grande boom, porém, aconteceu por volta do ano 2000, quando as confrarias se multiplicaram de norte a sul. "A gastronomia era vista como um produto complementar e não como um produto turístico estratégico, como é hoje", diz Olga Cavaleiro, sublinhando a importância do papel destas associações no desenvolvimento do País. 

No grupo das confrarias federadas há as que defendem produtos qualificados e reconhecidos, como a do Queijo da Serra da Estrela, dos Ovos Moles de Aveiro, da Carne Barrosã ou da Doçaria Conventual de Tentúgal, mas também as que recuperam pratos ou produtos esquecidos, como é o caso do Anho Assado com Arroz de Forno ou dos Rojões com Grelos e Batata à Racha. Outras empenham-se na valorização de produtos desvalorizados, como a tainha. 

Saiba mais na SÁBADO desta semana, que chegou às bancas a 31 de Agosto. 


Fonte: Revista SÁBADO.






Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Academia Madeirense das Carnes - Confraria Gastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top