17 outubro 2018

Confraria apresenta candidatura para organizar o 'Congresso do Vinho' em 2022


Em 2022 a Madeira quer organizar a Conferência Internacional do Vinho. A candidatura vai ser apresentada pela agora Confraria Enogastronómica da Madeira.

Fonte: Notícias do Atlântico da RTP-Madeira, 16 de Outubro


A nova denominação da Confraria Madeirense será usada a partir da data da sua aprovação em Assembleia Geral, marcada para 23 de Novembro de 2018.


Reportagem:

16 outubro 2018

Confrades madeirenses participam na Confraria do Chícaro


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participou no XII Capítulo da Confraria do Chícharo, que se realizou no dia 14 de Outubro, na Vila de Alvaiázere. Participaram neste evento os confrades Alcides Nóbrega, Sancho Silva, Carlos Manuel, Carlos Soares e António Silva.

Estreito de Câmara de Lobos, 16 de Outubro de 2018.

Na Imprensa

Confraria representada em dois Capítulos na Bélgica

A Academia Madeirense das Carnes / Confraria Gastronómica da Madeira esteve representada no dia 13 de Outubro no "Capítulo da Confrérie de la Délicieuse Oie du Gay Savoir en Bien Mangier de Visé", em Visé, na Província de Liége. 
No dia 14 deslocou-se ao 45.° "Capítulo da Confraria Ordre de Saint-Vincent de Jambes", na regão de Namur, na Bélgica.















15 outubro 2018

Participação no XII Capítulo da Confraria da Pedra

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participou no dia 13 de Outubro no XII Capítulo da Confraria da Pedra, que se realizou na localidade da Madalena, Vila Nova de Gaia.

Estreito de Câmara de Lobos, 15 de Outubro de 2018.


“A PEDRA NA VIDA FAZ PARTE”
Pedra no chão escondida
Pedra pela erosão despida
Pedra pelo homem partida
Pedra para afins escolhida
O homem, o chão escava
A grande pedra descobre
Os guilhos nela crava
Dali nasce a pedra nobre
Nobreza de tão nobre ser
É arte com pedra fazer
A cantaria e escultura
E até com pedra a sepultura
A pedra, na vida faz parte
No caminho, na moradia…
De pedra a primeira arte
A Pedra tem uma Confraria
O madalenense, a pedra parte
Da pedra se vive, quem diria…!
Martingança, 13-10-2018
Confrade Octávio Rodrigues da Confraria da Sopa do Vidreiro








12 outubro 2018

Na opinião da Enófila

Artigo de opinião escrito por: Filipa Aveiro.

A natureza é tão imprevisível, quanto bela. Ela cerca-nos, encanta-nos e influencia-nos. A maturação das uvas dependem de condições externas, do clima, dos solos… assim também o é, o nosso amadurecimento enquanto pessoas.

As variações cíclicas são uma realidade que, em muito afetam a agricultura, exigindo aos seus profissionais uma luta diária para adaptar o seu ofício às condições climatéricas oscilantes que a natureza proporciona. Esta ilação pode ser transportada para as nossas vidas pessoais.

Qual de nós nunca teve que se adaptar a uma nova situação que nos tenha deixado desconfortáveis?

A vida dos humanos é como a das vinhas, exige adaptação, dedicação e trabalho, com foco nos objetivos.

Todas as alterações exigem metamorfoses de pensamento, de ação e de visão, tirando-nos da nossa zona de conforto. Mas, quando almejamos o desejável, o retorno é muito gratificante e até agradecemos o ‘percurso vivido’.

Tenho um amigo, da área do marketing, comunicação e eventos que, por circunstâncias da vida, mudou de rumo, deixando a sua vida urbana do mundo dos espetáculos, pela ruralidade duriense, num projeto vínico familiar que abraçou de alma e de coração, seguindo a paixão do seu avô, de alcunha Pôpa que deu nome à atual quinta.

Recentemente, visitei e tive oportunidade de conhecer a Quinta do Pôpa e o seu projeto arrojado e criativo - Pôpa Art Projects, que Stephane Ferreira, gerente e promotor, ambicionou, projetou e tornou este seu sonho real. É uma propriedade lindíssima, adquirida pela família em 2003, com uma vista sobre o Douro de cortar a respiração que, de forma encantadora, nos transmite aquele toque ‘rebelde’ e descontraído, patente em diversos elementos informativos e decorativos. Estes adjetivos também são aplicados, no geral, aos seus vinhos, onde o trabalho do enólogo explora a combinação de novos sabores e aromas de forma arrojada e criativa, fugindo um pouco ao formato habitual dos vinhos do Douro e seguindo uma nova tendência de produção de vinhos mais leves e com menos teor alcoólico.

O vinho que escolhi esta semana é o Pôpa ‘Black Edition’ tinto, de 2014. Stephane atreveu-se a atribuir esta designação original, que o distingue dos demais, ao invés de utilizar designações comuns como outros categoria idêntica. Este, inicialmente, marcou-se por um aroma fechado mas, no seu paladar, destaco a sua plenitude de boca que é marcado ao mesmo tempo pela sensação de profundidade. É um vinho de cor intensa, evidenciado pela madeira, com potencial de garrafa, podendo ficar alguns anos nas nossas prateleiras para o saborearmos num momento especial. Este acompanha pratos de carne bem temperados e consistentes.

A rebeldia e originalidade da quinta e do vinho, também estão presentes nos rótulos. O rótulo do Pôpa ‘Black Edition’ circunda a garrafa, num formato alto, de corte curvilíneo e com relevo, atribuindo-lhe elegância e movimento. As suas cores - preto, dourado e branco - dão-lhe um toque requintado, gracioso e nobre.

A criatividade estampada no logotipo homenageia a pôpa do cabelo do avô (que acabou por ser a sua alcunha), no recorte deste sobre o código de barras e, na descrição de pormenores informativos, como é o exemplo do teor alcoólico do vinho, disposto de 4 formas distintas sui generis.

O vinho é muito mais do que um néctar que gostamos de desfrutar… é uma história, um projeto, uma paixão que exige planificação, dedicação e adaptações periódicas, para que o mesmo satisfaça as exigências do produtor e do consumidor final.


Fonte: JM-Madeira

10 outubro 2018

Encontro enogastronómico de Novembro na vila do Estreito de Câmara de Lobos



A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira reúne-se em Assembleia Geral no dia 23 de Novembro (sexta-feira) na sua sede, na Vila do Estreito de Câmara de Lobos.
Após a reunião magna terá lugar o seu encontro enogastronómico de Novembro num dos restaurantes da Vila do Estreito de Câmara de Lobos, conhecida como a "Terra de espetada e lagar da Madeira".

Estreito de Câmara de Lobos, 10 de Outubro de 2018.

08 outubro 2018

Confraria presente no Capítulo da Cofradia de Aguardiente de Orujo e del Viño de Liébiana

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira marcou no Capítulo da Cofradia de Aguardiente de Orujo e del Viño de Liébiana, em Cantabria.

Estreito de Câmara de Lobos, 8 de Outubro de 2018.


Na Imprensa:
«Mi reto es demostrar que la uva de Liébana es buena para el vino»

Sabino Quirós, nombrado Vinatero de Liébana 2018 en la Fiesta de la Vendimia, una cita que recuerda la vinculación de la comarca con el vino.

«Mi reto es demostrar que la uva de Liébana es buena para el vino y poder difundir los vinos de la empresa familiar 'Orulisa' a nivel nacional e internacional», dijo este sábado Sabino Quirós después de ser nombrado Vinatero de Liébana 2018. El nombramiento del nuevo Vinatero fue el acto central de la Fiesta de la Vendimia que celebró en Potes su quinta edición. Junto a la fiesta, la capital lebaniega acogió el Capítulo de la Cofradía del Aguardiente de Orujo y del Vino de Liébana en el que participaron dieciséis cofradías gastronómicas de Cantabria, Asturias, Navarra y Portugal. Los actos contaron con la presencia de Javier Gómez, alcalde de Potes; Gregorio Alonso, alcalde de Vega de Liébana y Enrique Cueto, presidente de la Cofradía lebaniega.

Los actos festivos se iniciaban por la mañana con la recepción y bienvenida a las cofradías asistentes para, seguidamente, formarse la comitiva que, encabezada por la Banda de Gaitas de Cantabria, recorrió las principales calles de la villa lebaniega hasta llegar al Centro de Estudios Lebaniegos donde se celebró el Capítulo de la Cofradía del Aguardiente de Orujo y del Vino de Liébana. En esta edición fueron nombrados cofrades de honor Eva Bartolomé, directora general de Turismo, y Luís Javier del Valle, periodista del Principado de Asturias. También recibió la distinción de cofrade de mérito, Pedro Álvarez, cantante de música regional. Se nombró también cofrades de número a Julia Fernández, Ana María Burgada, Ana Belén Ruiz, Teodoro Rebanal, Ramón Álvarez y Alio Agudo.

Por la tarde, tras la comida de hermandad, en el templete de La Serna tuvo lugar el nombramiento de Sabino Quirós como Vinatero de Liébana 2018,un acto en que estuvo acompañado por su familia así como por los Vinateros anteriores. Fue Mariano Linares, primer Vinatero de la fiesta, quien hizo entrega a Quirós de la placa de reconocimiento. Tras agradecer la distinción, el nuevo Vinatero pisó descalzo las uvas y se procedió a la degustación de los vinos de la comarca.

Pedro Álvarez
Sábado, 6 octubre 2018, 21:51

Fonte: "El Diário Montañes" de Cantabria


























Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Academia Madeirense das Carnes - Confraria Gastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top