05 maio 2022

Agradecimento • Grande Capítulo 2022



Prezadas Confrarias, Confrades e Amigos


Não há palavras para descrever as vivências do Grande Capítulo de 2022, foram quatro dias de festa a calcorrear da Ilha da Madeira e do Porto Santo como a muito desejávamos.

Momentos plenos de alegria, de partilha, de novos sabores e laços entre os confrades nacionais e internacionais que nos brindaram com a sua presença. A eles, aos nossos confrades e a todas as entidades que apoiaram e colaboraram na concretização deste evento, o nosso sentido OBRIGADO!


OBRIGADO - por nos motivar a ir mais além,

OBRIGADO - por fazerem valer a pena,

OBRIGADO - por abrilhantar ainda mais estas ilhas, que são nossas, são vossas, são de todos!


CONFRARIAS PARTICIPANTES

Cofradia de la Anchoa de Cantabria - Espanha

Confraria do Arinto de Bucelas - Portugal

Confraria do Atum - Vila Real de Santo António - Portugal

Confraria do Frango na Púcara - Portugal

Confraria dos Enófilos do Vinho de Carcavelos - Portugal

Confraria dos Gastrónomos da Região de Lafões - Portugal

Confraria Gastronómica - O Galo de Barcelos - Portugal 

Confraria Gastronómica Os Gastrónomos dos Açores - Portugal

Confraria Gastronómica da Amadora - Portugal

Confraria Os Velhotes - Portugal

Confrérie de Saint Romain en Bordelais et Pays Libournais - França

Confrérie des Grands Gousiers de Beaumont - Bélgica

Confrérie des Potes-au-Feu - Suiça

Confrérie des Tripaphages de Château-Gontier - França

Confrérie du Biétrumé et de la Blanche de Namur - Bélgica

Congrega dei Radici e Fasioi - Itália

Gastronómica da Raça Arouquesa - Portugal

Nobre Confraria Gastronómica do Melhor Peixe do Mundo - Portugal

Ordem dos Companheiros de São Vicente - Confraria dos Vinhos de Portugal - Bélgica

Ordine dell' Amarena e del Nebbiolo di Sizzano - Itália

Ordre de Gambrinus - Confrérie des Bières Bruxelloises - Bélgica

Veinimaailm Confraternity - Estonia


AMPV - Associação de Municípios Portugueses do Vinho - Portugal

Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Portugal

Federação das Confrarias Báquicas de Portugal - Portugal.


O entusiasmo é tamanho, que já estamos a trabalhar na próxima edição.

É com muita honra que a Confraria Enogastronómica da Madeira convida V. Ex.cias para o GRANDE CAPÍTULO 2023, de 21 a 24 de abril. Prometemos fazer ainda melhor!



04 maio 2022

A Academia que passou a ‘Confraria Enogastronómica da Madeira’


‘Grande Capítulo’ desta confraria constituiu uma excelente jornada de promoção turística da Madeira.

Estive presente, em representação da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), naquele que é o momento alto da vida das confrarias: o Grande Capítulo no qual são ‘admitidos’ (entronizados) novos confrades e confreiras. Já agora, também se pode usar a designação confrade para os dois géneros.

Marcaram presença no Grande Capítulo da Confraria Enogastronómica da Madeira, entre 22 e 25 de abril, mais de duas dezenas de confrarias de Portugal, Espanha, França, Bélgica, Suíça, Itália e Estónia, algumas das quais relacionadas com o vinho, para além da AMPV e da Federação das Confrarias Báquicas de Portugal mas, a grande maioria, em representação da atividade gastronómica.

 


Participei em apenas dois dos quatro dias de atividade que os anfitriões proporcionaram, mas não resisto a tecer algumas considerações sobre o que observei e senti, tendo em conta a minha atividade relacionada com os programas de televisão que apresentei entre 2000 e 2005 que me permitiram uma ligação intensa com o ‘mundo’ confrádico em que participei durante mais alguns anos como confrade e ao qual me tenho mantido atento, sobretudo na qualidade de jornalista.

Destaco desde já a excelente relação da Confraria Enogastronómica da Madeira com os organismos oficiais visitados o que, a avaliar pelas ‘queixas’ que se ouvem, não acontece com uma boa parte das confrarias existentes, facto que merecaria ser analisado e discutido. Este é um assunto que abordei há cerca de dois anos neste texto:https://jornalsabores.com/confrarias-municipalizadas/

Em Porto Santo, o presidente e o vice-presidente do município receberam a comitiva à porta do edifício da Câmara Municipal, numa manifesta ‘interpretação’ da componente turística, logo promocional, de que a visita se revestia. O entusiasmo com que o jovem autarca apresentou a sua ilha e falou dos futuros projetos inovadores na componente ecológica, no aumento da dessalinização já existente e na aposta em vitivinicultura, para além da visita a alguns locais de Porto Santo fizeram-me querer lá voltar brevemente e com mais tempo. E pelo que ouvi, também a muitos outros elementos da comitiva.

No dia seguinte, aconteceu a cerimónia do Grande Capítulo que teve lugar no Salão Nobre do Parlamento madeirense, com o Presidente da Assembleia Legislativa também a receber pessoalmente a comitiva e, no seu discurso, depois de lembrar que a celebração da independência dos Estados Unidos foi comemorada com um brinde de vinho Madeira, fazer votos de que “dentro de pouco tempo seja possível levantar um copo de vinho Madeira e brindar à paz entre a Ucrânia e a Rússia”.

 


José Manuel Rodrigues felicitou a Confraria madeirense na pessoa do seu presidente, Alcides Nóbrega, por ter sido eleita para a presidência da direção da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, de que é uma das fundadoras, sublinhando “o papel das confrarias na salvaguarda e divulgação da cultura gastronómica”.

Até mesmo as duas refeições servidas em restaurante de hotel que, confesso, me fizeram ‘desconfiar’ foram uma boa surpresa. Em Porto Santo foi servido um excelente atum rabilho com puré de batata-doce, homenageando dois excelentes produtos locais.

No chamado jantar de Gala, após as entronizações, muitas vezes aproveitado para se ‘armar ao pingarelho’, a variedade e a qualidade dos produtos, que foram ‘respeitados’ na confeção, valorizaram a gastronomia madeirense, provando que é possível respeitar os produtos locais, com abordagens culinárias mais modernas e adptadas ao espaço onde são servidas.

Não posso deixar de sublinhar a inclusão, nestas duas refeições, de vinhos madeirenses que, sobretudo os brancos, merecem uma atenção especial dos enófilos pela qualidade crescente que vêm apresentando, apesar de preços que, inevitavelmente, têm que refletir os elevados custos dos fatores de produção. E esta confraria tem particulares responsabilidades na promoção do Vinho Madeira e também dos tranquilos já que, 19 anos depois da sua constituição, passou a designar-se Confraria ENOgastronómica.

A propósito, aqui vos deixo um pequeno apontamento da história desta confraria.

Nasceu como Academia Madeirense das Carnes, em abril 2000, por iniciativa de um grupo de amantes de comida tradicional madeirense, em especial do receituário associado a carne.

Um dos eventos emblemático deste grupo foi um jantar de protesto ao embargo da comunidade europeia ao consumo da carne de vaca pelo risco de contaminação com a BSE, vulgarmente conhecida como doença das ‘vacas loucas’, por entenderem que os dados existentes não justificavam essa proibição. O prato principal foi uma costeleta de vaca e teve grande repercussão nos meios de comunicação social.

Imbuídos desse espírito de salvaguarda e com o conhecimento da existência do movimento confrádico com o intuito proteger e divulgar os produtos e as receitas gastronómicas genuínas de uma determinada região, o grupo evoluiu para Academia Madeirense das Carnes / Confraria Gastronómica da Madeira abraçando toda a gastronomia regional.

A Confraria, desde a sua fundação, alia a cultura báquica à gastronómica, nomeadamente brindando na abertura dos seus eventos com o histórico Vinho Madeira. Nas últimas décadas, com o surgimento e evolução dos vinhos tranquilos madeirenses, os confrades madeirenses sentiram vontade de também os acarinhar.

Em 2019 esta inclusão é formalizada com novos estatutos e consequente alteração de denominação, transformando-se em CEM – Confraria Enogastronómica da Madeira, com a missão de defender, preservar, promover, divulgar, prestigiar e valorizar a cultura báquica e gastronómica da Região Autónoma da Madeira, incluindo os seus usos e costumes, as suas tradições e as técnicas e tecnologias inerentes à sua produção. 

É também filiada na FCBP – Federação das Confrarias Báquicas de Portugal e  na FICB – Federação Internacional das Confrarias Báquicas.

Amilcar Malhó


“Que dentro de pouco tempo seja possível levantar um copo de Vinho Madeira e brindar à paz"

O parlamento madeirense recebeu hoje as confrarias gastronómicas de Portugal, Espanha, França, Bélgica, Suíça, Itália com um brinde à paz na Europa. 

“Que dentro de pouco tempo seja possível levantar um copo de Vinho Madeira e brindar à paz entre a Ucrânia e a Rússia”, referiu o presidente da Assembleia Legislativa, na abertura da cerimónia do Grande Capítulo da Confraria Enogastronómica da Madeira, que se realizou no Salão Nobre.

José Manuel Rodrigues aproveitou a ocasião para felicitar o madeirense Alcides Nóbrega por ter sido eleito presidente da Federação Nacional das Confrarias. 

É mais um madeirense que vinga no panorama nacional, neste caso na área da gastronomia que é também cultura. Estou certo de que contribuirá para pôr a gastronomia da Madeira no mapa de Portugal, e mais do que isso lutará e trabalhará para que se possa combater a adulteração dos produtos da Madeira e da cozinha regional, verificada, por vezes, em alguns restaurantes do país”. José Manuel Rodrigues 

O presidente do parlamento madeirense destacou ainda o papel das confrarias na “salvaguarda e divulgação da cultura gastronómica”.


 FONTE: Diário de Notícias - Madeira

Confraria Enogastrónomica visitou o Porto Santo

 

A Confraria Enogastronómica da Madeira iniciou no passado dia 22 de Abril, a 21º edição do ‘’Grande de Capítulo’’. 

Um evento, que decorreu durante quatro dias (entre 22 a 25 de Abril), e que teve como objectivos dar a conhecer os saberes e os sabores regionais aos confrades, em representação de confrarias de Portugal Continental, Espanha, França, Bélgica, Suíça, Itália e Estónia.

No dia 23 de Abril, os confrades visitaram o Porto Santo, onde foram recebidos no edifício da Câmara Municipal pelo presidente e pelo vice-presidente locais. 

Os confrades tiveram a oportunidade de conhecer os novos desenvolvimentos da vinicultura do Porto Santo, a reactivação do cultivo do chícharo e de experimentar alguma da nossa típica gastronomia.


FONTE: Diário de Notícias - Madeira



Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Confraria Enogastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top